Atendendo e conversando com diversos profissionais de coaching nos últimos anos, sei que uma das maiores dificuldades desses profissionais é encontrar clientes.

Apesar de muitos deles terem um serviço bem aceito pelos clientes atuais, não conseguem escalar seus negócios.

Isso porque, se diferenciar em um mercado tão competitivo como esse tem se tornado tarefa cada vez mais difícil. O papel do marketing nada mais é do que criar e comunicar os diferenciais da sua marca, atraindo o público certo para sua empresa.

Nesse artigo, vou abordar os principais tópicos que você, coach, deve saber sobre marketing para que o seu negócio cresça!

O que é marketing?

Segundo a American Marketing Association (AMA), marketing é:

O Marketing é uma atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que tenham valor para os consumidores, clientes, parceiros e sociedade em geral.

O marketing tem um papel importante em qualquer empresa, já que ele é responsável não só por criar produtos e serviços que atendam a uma necessidade do mercado, como comunicar inovações.

Para exemplificar, imagine que a Coca-Cola tenha identificado um novo hábito em seus consumidores: consumir bebidas sem açúcar. Esse trabalho de identificar novos hábitos é uma tarefa do marketing.

Porém, não adianta apenas identificar um novo comportamento. É preciso supri-lo-se a Coca-Cola não fizer, o concorrente fará. Após o desenvolvimento de uma nova bebida sem açúcar, o marketing entra em ação novamente.

As pessoas precisam saber que a empresa possui uma nova bebida sem açúcar. É tarefa do marketing criar as ações que comunicarão esse novo produto.

Mas o papel do marketing não para por aí: é dele também a tarefa de monitorar o mercado e os concorrentes, garantindo que a Coca-Cola continue sendo líder do seu segmento.

Deu para entender que o marketing é essencial em todas as etapas de um negócio?

Apesar do meu exemplo de ser de um produto, para serviços não é diferente. Podemos aplicar o mesmo exemplo para o negócio de coaching.

Cada vez mais, as pessoas precisam de orientação e mentoria em suas vidas, carreiras e negócios. Portanto, há uma grande demanda para coaches de todas as áreas.

Identificar esse público, criar uma oferta de valor que vá de encontro aos seus anseios e, principalmente, comunicá-la eficazmente é tarefa do marketing.

Próposito e posicionamento de marca

Como disse acima, criar uma oferta de valor única para o seu público é crucial para obter sucesso. É o que também chamamos de posicionamento de marca. Como fazer isso?

Uma das ferramentas mais utilizadas para isso é o Círculo dourado (ou golden circle), criada pelo americano Simon Sinek. Você deve descobrir o propósito para que sua empresa exista. Não é muito diferente do que criar um propósito pessoal.

Uma empresa não deve existir somente para gerar lucro para seus acionistas. Cada vez mais, as pessoas se identificam com negócios que mudam suas vidas, que as ajudam a superar um obstáculo. Mais ainda, que sejam boas para a comunidade em que elas estão inseridas.

Descobrir porque e para quem seu negócio como coach existe é o primeiro passo para criar uma estratégia de marketing de sucesso.

Público-alvo e persona: saiba com quem você está falando

Certamente conhecer qual é o público-alvo do seu negócio ajuda e muito a criar uma estratégia eficaz.

Aqui, podemos falar de dois tópicos muito comuns e até parecidos mas que geram confusão.

Público-alvo é a definição abrangente do seu target. Você pode defini-lo da seguinte forma:

Mulheres, de 25 a 35 anos, das classes AB, superior completo, moradores de São Paulo e região.

Já a persona é uma descrição mais detalhada desse público. Nem todas as mulheres de 25 a 35 anos estão procurando por uma mudança em sua vida e carreira. É aqui que você deve fazer o recorte mais específico:

Mulher, 30 anos, pós-graduada, analista sênior em empresas de tecnologia, moradora de São Paulo, capital. Deseja ganhar uma promoção e se tornar líder da sua área. Porém, não sabe o que é necessário para ganhar essa promoção.

Percebe como essa descrição vai muito mais de encontro com os anseios desse público?

Para criar uma persona, você deve entrevistar seu público em potencial. Converse com seus antigos clientes e veja o que eles têm a dizer. Converse também com as pessoas que não fecharam com você. Entenda o que travou a negociação ou porque eles fecharam com a concorrência.

Identidade visual

A identidade visual é a representação visual do seu propósito e posicionamento. Muita gente pensa que identidade visual é o mesmo que logotipo. O logotipo é apenas um dos elementos dessa identidade.

A identidade é composta por cores, tipografia, grafismos, personagens, símbolos e outros elementos. Portanto, é importante pensar se todos esses elementos comunicam aquilo que sua marca acredita.

É muito comum um cliente dizer que considera seu posicionamento moderno mas a identidade visual comunica exatamente o oposto. A identidade é usada em diversos materiais que divulgam seu negócio: cartão de visitas, pasta, papel timbrado, site, redes sociais, entre outros.

Portanto, é importante que essa etapa do seu negócio seja bem planejada, especialmente porque uma boa identidade visual pode facilmente durar dez anos. Pense nas melhores marcas que você conhece: elas mudam muito pouco.

Se você já tem uma marca, analise se ela realmente representa aquilo que você comunica – desde cores até tipografia.

Marketing digital para coaches

Agora que você entendeu os princípios básicos para criar seu planejamento de marketing, vamos falar sobre marketing digital para coaches.

Para quem ainda duvida do poder da internet, 70% da população brasileira conta com acesso à internet, segundo o IBGE. Ou seja, internet não é mais privilégio de alguns, mas está presente em 2/3 de todos os lares, em um país com mais de 200 milhões de habitantes.

Planejamento de marketing digital

O primeiro passo para criar sua estratégia é ter um planejamento. É esse planejamento que irá guiar todo o seu trabalho. Na burnell, utilizamos a seguinte matriz:

planejamento-marketing-digital

Não é muito diferente do que criar um planejamento pessoal. Detalhando cada etapa:

  1. Onde estou: faça um diagnóstico da sua empresa digital. Compare sua estratégia atual com seus melhores concorrentes. Veja o que eles estão fazendo e você não. Se os seus concorrentes são fracos digitalmente, então escolha uma empresa que você admira e olhe para ela. Nesse diagnóstico, você também pode incluir a matriz SWOT.
  2. Onde quero chegar: defina suas metas e objetivos. Por que sua empresa vai apostar em marketing digital? O que ela quer atingir com isso. A meta SMART é uma excelente ferramenta para esse passo.
  3. Como vou chegar: essa é a hora do “mão na massa”. Se sua meta, por exemplo, é conquistar 3 novos clientes por mês com marketing digital, como vai conseguir isso? Em quais canais você vai apostar? Com qual frequência irá publicar? Aqui, o diagnóstico feito na primeira etapa é muito importante.

Nos próximos tópicos, vou abordar detalhadamente as principais estratégias que você pode adotar:

Como aparecer no Google

Noventa porcento de todos os processos de compra começam com uma ferramenta de busca como o Google. Isso por si só já nos mostra que a internet é uma poderosa ferramenta para capturar leads.

Costumamos dizer que, se sua marca não está na primeira página do Google, ela simplesmente não existe! Quantas vezes por dia não usamos esse buscador para procurar desde coisas triviais até mesmo para fazer perguntas sobre nossa saúde?

Aparecer no Google transmite autoridade, já que a pessoa entende que o Google está “validando” aquele resultado. Além disso, captará dezenas de centenas de interessados nos seus serviços. O primeiro resultado, por exemplo, recebe cerca 35% de todos os cliques.

Mas como fazer para aparecer na primeira página de resultados? Para isso, aplicamos um conjunto de estratégias que chamamos de SEO (Search Engine Optimization – ou otimização de sites para buscadores).

Essas técnicas consistem em uma otimização on-page (ou seja, dentro da própria página do site) e off-page. Vou abordar aqui os principais pontos que você deve ficar de olho:

  • Qualidade do conteúdo: o conteúdo é rei em SEO. Por isso, essa é a principal etapa de qualquer trabalho de otimização. Não adianta ter um layout lindo e um conteúdo fraco. A qualidade do conteúdo está intimamente ligada com os anseios das pessoas ao fazerem uma busca. Você deve responder corretamente aquilo que a pessoa procurou.
  • Tamanho do conteúdo: sim, o tamanho do conteúdo influencia em SEO. Conteúdos mais longos rankeiam melhor. Mais especificamente: conteúdos com mais de 2.500 palavras, em média. Esse é um estudo para o mercado americano, mas no Brasil não é muito diferente. Tenho notado que conteúdos com mais de 1.000 palavras desempenham melhor.
  • Título da página: a palavra-chave pesquisada deve aparecer no título (e em outras partes do texto). Por exemplo: existe uma grande chance de você ter chegado nesse conteúdo pesquisando por “marketing para coaches”. Essa palavra não aparece somente no título como na URL e ao longo desse texto.
  • URLs amigáveis: como mencionei acima, a palavra-chave deve aparecer também na URL, ser curta e de fácil interpretação e ter hífens separando as palavras.
  • Tempo de carregamento do site: o tempo de carregamento de um site influencia indiretamente no rankeamento. O Google estima que, para cada segundo adicional de carregamento, um site perde 20% de seus visitantes. E o mobile já representa mais da metade da navegação.
  • Links apontando para uma determinada página: o Google entende que, quanto mais links apontam para uma página, melhor aquele conteúdo é. Funciona mais ou menos como as referências em um artigo acadêmico. Essa estratégia chamamos de link building. Como começar? Linke internamente seus próprios conteúdos. Conteúdos compartilhados em redes sociais também são positivos.

Esse e outros conteúdos são abordados na consultoria de marketing digital.

Redes sociais para coaches

As redes sociais, como Facebook, Instagram, Youtube e LinkedIn também devem fazer parte da sua estratégia. Afinal, 90% das pessoas estão presentes em ao menos uma rede.

Quer saber as principais diferenças entre cada uma? Dá uma olhada no infográfico abaixo:

infografico-redes-sociais-post

O Facebook é o líder, com mais de 100 milhões de usuários no Brasil. A desvantagem é seu baixo alcance orgânico (não pago). Porém, postar no Facebook com frequência não só ajuda a posicionar sua marca como referência mas também funciona para atrair potenciais interessados em seus serviços.

As grandes vantagens do Facebook são os diferentes formatos de posts (link, foto, vídeo, transmissão ao vivo, entre outros) como também a possibilidade de anunciar gastando muito pouco.

O Instagram é a rede do momento! Inicialmente criado com o propósito de compartilhar fotos, hoje ele já permite vídeos, transmissão ao vivo e o Stories, formato que desaparece em até 24 horas.

O lado negativo do Instagram é não possuir link nos posts – apenas no Stories para contas com mais de 10 mil seguidores.

O Youtube, por fim, é a principal rede de vídeos. Estima-se que 78% de todo o tráfego da internet será de vídeos. Portanto, é importante que sua marca comece a planejar esse tipo de conteúdo também.

Comece com as transmissões ao vivo, que são fáceis de fazer e tudo o que você precisa é de um cenário e um celular com uma boa câmera.

+ Leia mais: Como fazer vídeos

LinkedIn para coaches

O LinkedIn é uma poderosa rede social profissional, com mais de meio bilhão de usuários ativos. Ao contrário do que muita gente pensa, o LinkedIn não é uma rede de currículos e não serve somente para encontrar potenciais candidatos ou empregos.

Como uma rede social, ele deve ser usado para publicar conteúdos relevantes para o seu público. Existem duas formas de trabalhar com o LinkedIn: através de uma company page e através do perfil pessoal.

A company page deve ser usada por empresas – semelhante a fanpage do Facebook. Já o perfil pertence a uma pessoa. Cada uma tem funções e objetivos diferentes. Enquanto na página você vai promover sua empresa, no perfil você vai promover você como marca.

Você pode se perguntar: devo ter as duas? A resposta é: depende. Se você for um coach que trabalha sozinho e não tem ambição de criar uma empresa com outras pessoas, então não precisa da página. Já se você possui outros profissionais trabalhando na sua estrutura, então deve sim criar a página.

Para o perfil pessoal, é importante não só preencher todas as informações solicitadas pelo LinkedIn, como também publicar diariamente conteúdos que interessem ao seu público.

É importante dedicar ao menos 15 minutos do seu dia para isso. Se você está na dúvida se funciona ou não, aqui vai um exemplo: recentemente a burnell fechou um contrato com um prospect que veio do meu LinkedIn pessoal!

Email marketing

O email ainda é uma das principais ferramentas de comunicação utilizadas por nós. Portanto, ele não deve ser deixada de lado na sua estratégia de marketing digital.

Uma boa estratégia de email marketing gera excelentes resultados, com taxa de abertura de até 30% e taxa de clique de até 6%. Isso é muito mais do que o Facebook, por exemplo, que possui alcance orgânico de cerca de 1%.

Mas como ter uma estratégia efetiva?

O primeiro passo é nunca comprar uma lista de emails. Essas listas são de baixa qualidade e essas pessoas não assinaram para receber seus emails – o que caracteriza spam.

A principal forma de conquistar o email de uma pessoa é oferecer algo em troca: um desconto, um ebook, uma planilha – o que também é chamado de isca digital (ou material rico, como denominamos aqui na burnell).

Uma ferramenta muito eficaz para captar emails são os pop-ups. Quando bem pensados, eles geram uma alta de conversão – e sem incomodar ninguém!

Ferramentas de marketing digital

Para que você possa começar a executar sua estratégia o quanto antes, vou dar dicas de algumas ferramentas que você pode usar:

Hootsuite: muito utilizada para postar em redes sociais. Você consegue conectar todos os seus perfis, facilitando o trabalho.

Postgrain: para programar posts no Instagram.

Canva: site para você criar suas próprias artes. É um bom quebra-galho se você não tem um designer.

Mailchimp: para email marketing. Permite uma lista de até 2 mil emails e 12 mil envios por mês gratuitamente.

RD Station: essa é a ferramenta mais robusta para pequenas e médias empresas que desejam escalar seus negócios. É a ferramenta que usamos na burnell e também em nossos clientes. Ela reúne todas as principais funcionalidades do marketing digital, facilitando e otimizando o trabalho.

Quer começar a ter resultados de verdade?

Se tudo isso que eu escrevi aqui faz sentido para você, que tal começar a colher os frutos de um trabalho de marketing digital bem feito? A burnell é especializada em atender esse segmento e podemos te ajudar também! Clique aqui e solicite uma conversa com um especialista – é sem compromisso!

cta-post-bate-papo-marketing-digital