Ouvimos muito falar sobre a mudança que o Marketing têm passado nos últimos anos. Mas e como devem ser os profissionais desse novo mercado?

Vamos partir de uma base fundamental que é o consumidor. O comportamento de compra mudou e tende a continuar mudando conforme o aparecimento de novas tecnologias e o desenvolvimento da internet.

Se o consumidor muda, as agências precisam mudar, os conceitos de marketing precisam mudar e os profissionais que fazem parte disso tudo, também devem mudar, claro!

Hoje o profissional de marketing precisa ser, acima de tudo, atualizado e, surge uma característica um pouco nova e importantíssima para um profissional da área de marketing: ele precisa gostar de números!

Ou seja, o marketing passa por uma transformação tão profunda, que até nos faz repensar o conceito entre ciências humanas e exatas. Mas isso é assunto pra outro post.

Listei abaixo alguma das principais características, segundo algumas pesquisas e leituras que fiz, o que o profissional de marketing precisa para estar à frente do mercado e do consumidor:

Atualização constante + Sair da zona de conforto

Ler livros e conteúdos relevantes, fazer cursos, participar dos eventos dessa área, ficar de olho nas tendências e nas inovações que estão surgindo – mesmo que não façam referência direta com o mercado de marketing, são ações que fazem parte do dia a dia desse profissional.

Estar atento a tudo e a todos ao seu redor, perceber as mudanças antes de que elas aconteçam, conversar com geração mais nova, ficar aberto a sugestões, ideias e opiniões, sair do seu conforto e conversar com grupos diferentes de pessoas, além de agir rapidamente, são características essenciais para o profissional de marketing.

Inovação e tecnologia

São palavras que andam praticamente juntas. O profissional de marketing precisa usar a tecnologia e inovação a seu favor.

Conhecer e construir ferramentas, automatizar algumas ações, otimizar os custos de investimento da empresa, estar 100% integrado com o digital – mas sem deixar de conhecer o off, propor inovações na área ou para o cliente.

Análise de dados + Resultados

Aqui vemos um característica que antes era muito pouco ou nada explorada dentro do marketing: análise de números, dados, porcentagens, contas, ROI, cálculos (custo de aquisição de clientes), etc.

O novo perfil do profissional de marketing deve gostar de números! De matemática! Devemos entender tudo isso para levarmos o melhor para nossa empresa ou cliente. O marketing também precisa de números.

Em um artigo do Meio & Mensagem, com a Robert Half, empresa especializada em recrutamento: “é exigido cada vez mais que o profissional seja capaz de medir os resultados de suas ações (ROI).”

Ações de marketing que não têm essa métrica são tidas como “tiro no escuro” e muitas vezes não valem o investimento – a não ser que tenham como propósito construção de marca e sejam divulgadas em canais que não possuem métricas.

Relacionamento

Por último porém não menos importante, o novo marketing NUNCA deve esquecer o relacionamento com seus consumidores, que estão cada vez mais exigentes e sedentos por bom atendimento.

O desenvolvimento de parcerias também deve estar em constante evolução, já que parceiros com ferramentas já prontas e parceiros que possam facilitar o seu trabalho de gestão no dia a dia, são fundamentais para o bom andamento do negócio.

Em um artigo da Época Negócios, podemos ver mais mudanças: empresas estão  “matando” o departamento de marketing, ou melhor, transformando-o em “squads”, como é o caso do Spotify.

Uma squad é uma equipe, pequena, formada por profissionais de diversas áreas como Produto, TI, Business Intelligence, etc., que tem como principal característica a autonomia na tomada de decisões. A formação de squads tem o objetivo de resolver os problemas mais rapidamente e resolver funções com multidisciplinaridade.

Em outro artigo da Academia do Marketing, em entrevista com um dos CEOs da start up Tricae, loja virtual de produtos para crianças e gestantes, ele afrima: “contrato muitos engenheiros para a área de marketing. Nós nos encarregamos de treiná-los nas partes mais qualitativas e específicas de marketing e propaganda. Pouquíssimas pessoas de marketing já migraram para o mundo on-line, e as que o fizeram têm deficiências na questão analítica”, justifica.

Conclusão

Diante desses fatos, podemos ver que o profissional de marketing precisa buscar outros conhecimentos, além daqueles aprendidos na faculdade ou em cursos especializados.

Precisamos estar atentos aos novos comportamentos, buscar novos canais, novas formas de divulgação, inovar e aprender que os números são nossos grandes amigos!